A SENCE

A Secretaria Nacional de Casas de Estudantes é um movimento social autônomo, independente e apartidário (mas não antipartidário) que se organiza de forma horizontal (sem direções centralizadas) através de colegiado.

Formada nos encontros nacionais, composta pelas/os coordenadoras/es eleitas/os no encontro regional, sendo 05 representantes de cada região.

Composta por Coordenadoria: Administrativa; de Cultura; de Finanças; de Comunicação; de Política; e Diversidade.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Carta de Apoio às moradoras e
moradores de Casas de Estudantes do Piauí


Depois de doze anos pude rever o lugar onde residi quando estudante secundarista. Ao longe avistei a Casa do Estudante do Piauí (CEPI). Não foi possível conter a emoção, pois a casa velha com seu tom acinzentado para mim tem significância. Foi justamente nela que meus sonhos de estudante do interior começaram a se concretizar. Foi ali que compreendi de fato a importância da educação. Foi ali que aprendi valores como encorajamento, solidariedade, partilha (Alexandre Rocha- Mestre em Ciência Política pela UnB)”



O Movimento de Casas de Estudantes do Norte-Nordeste representado, a nível destas regiões, pela SENCENNE – Secretaria Nacional de Casas de Estudantes Regional Norte-Nordeste vem por meio desta Carta expressar a profunda lástima sentida pelas/os estudantes no que concerne às Políticas Públicas de Assistência Estudantil no Estado do Piauí. Visto que no dia 17 de dezembro de 2009, foi comunicado à Secretaria que três (3) residências do estado seriam fechadas e as/os estudantes teriam que se retirar até o dia 20 do mesmo mês, devido à justificativa do governo estadual de não possuir recursos para pagar o aluguel das residências. No entanto, segundo a Constituição Federal Brasileira em seu Capítulo II, Art.6 : ”dentre os direitos sociais do cidadão estão a educação e a moradia”. Ainda nesse mesmo capítulo, mas no Art. 23, inciso V é dito que: “É competência comum da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, proporcionar os meios de acesso à cultura, à educação e à ciência”. E em seguida no Art.24, inciso IX se fala que: “Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre a educação, cultura, ensino e desporto”.
Já no Cap. III em seu Art. 205 é claramente falado que: “A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho". E no Art. 206, inciso I diz-se que: “O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola”.
A Política de Cotas nas Universidades, a Universidade Aberta do Brasil, bem como PROUNI e o novo ENEM criado pelo Governo Federal tenderão a aumentar a procura pelas Casas dos Estudantes no Piauí, já que muitas/os das/os estudantes que procurarão a casa do estudante são de Origem Popular. No entanto, a decisão tomada pelo atual Governador do Estado, Wellington Dias, juntamente com Sr. Secretário da Educação Antonio José Medeiros, desfavorece as/os residentes que vivem atualmente na residência, bem como impedirá que mais estudantes tenham acesso a essas três residências que serão impedidas de funcionarem.

Vale lembrar que as residências do Piauí servem também de moradia para estudantes secundaristas, vindo do interior que não tem condições de custear uma moradia para residir na cidade, e com a medida tomada pelas “autoridades” estes estudantes terão que abdicar de seus estudos e voltarem para as suas cidades de origem de mãos vazias, simplesmente porque o Governo do Estado disse que não há recursos suficientes para garantir a moradia desses/as cidadãos/ãs. Mas esse recurso num já é garantido pela Constituição quando a mesma cita que é dever da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios garantir condições para o acesso e a permanência à escola? Então, como é que essas/es estudantes podem continuar com seus estudos se o estado do Piauí não os/as acolhe como lhes é de direito perante a Constituição Federal e as Leis de Diretrizes e Bases da Educação.

Perguntamo-nos com isso: será que o governo Federal cria e mantém todos esses programas, bem como a universidade Federal e Estadual, sem pensar em manter um programa sólido, sensato e bem estruturado no que concerne a Assistência Estudantil?
Será que não está na hora do Governo do Piauí se articular com o Ministério da Educação e com os gestores da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e da Universidade Estadual do Piauí, para que esse sistema seja melhor organizado dentro da esfera da educação?

Nós acreditamos que não se deve perder tempo esperando-se a “boa vontade” desses representantes, por isso só queremos que seja dada às/aos estudantes do Piauí o que é delas/es por direito, visto que deles/as está sendo retirado a moradia, a oportunidade de concluir os seus estudos, de dar uma retribuição à sociedade de parte dos recursos que disponibilizou ao Estado. A SENCENNE repudia veementemente a postura tomada pelo Governo do Estado do Piauí, pois este ato se mostrou contrário às boas práticas de Políticas Públicas para a assistência Estudantil e para o acesso à educação aqueles estudantes de baixa renda à Escola e à Universidade.

Além disso, a SENCENNE entende que a atitude do Secretario da Educação juntamente com o Governador, contraria o Regimento da Secretaria Estadual da Educação e Cultura do Piauí, visto que uma de suas finalidades conforme exposto nesse documento é assistir ao estudante pobre (art.1, inciso VIII) e ainda diz que é: "organizar, manter, desenvolver e supervisionar os órgãos e instituições oficiais da educação escolar (art.1, inciso IX)".

As/Os estudantes de todo Brasil lutaram e lutam por políticas mais amplas de assistência, por isso se organizam a nível Regional e Nacional, bem como procuram manter uma ponte de diálogo com órgãos como o FONAPRACE (Fórum Nacional de Pró-Reitores para Assuntos Comunitários e Estudantis) para que as Políticas de Assistência Estudantil sejam melhores empregadas. Muitas vezes, o canal de diálogo não funciona seja com o FONAPRACE, seja com nossas universidades, ou mesmo com representações do Executivo. E então nós estudantes precisamos nos articular para que não tenhamos nossos direitos retirados, isso porque enxergamos as casas de estudantes como um quesito fundamental para a conclusão dos estudos, já que as mesmas democratizam a manutenção dos/as estudantes na escola e na universidade.

Se o FONAPRACE disse em 2004, que a demanda é maior do que a oferta de casas de estudantes porque o Governo do Piauí toma uma decisão de fechar três casas dos estudantes.
A luta das/os estudantes moradores de Casas de Estudantes do Piauí pelo direito à educação e à Assistência Estudantil é uma luta de todos e todas nós que buscamos uma sociedade justa e que fazemos parte do Movimento de Casas de Estudantes a nível Norte-Nordeste.


Abraços e força na luta.


Idayana da Costa Marinho
(Coordenação de Comunicação da SENCENNE);

Danilo Kamarov
(Coordenação Regional da SENCENNE);
Anselmo Nicoski
(Casa do Estudante do Paraná);
sencenne@gmail.com

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Encaminhamentos do Pré-ENCE (UFRJ) 30/10 a 02/11 de 2009

Secretaria Nacional de Casas d@s Estudantes
Coordenação de Comunicação da SENCENNE
Pré - Encontro Nacional de Casas d@s Estudantes
(Pré-Ence/UFRJ)

XXXIV ENCE
ENCONTRO NACIONAL DE CASAS DE ESTUDANTES
18 a 23 de abril de 2010, CUIABÁ (MT)

Rio de Janeiro, 30 de outubro a 02 de novembro 2009


PROGRAMAÇÃO




RELATÓRIO DO PRÉ-ENCE


Tema: "A Universalização das Políticas Públicas e PNAES: e eu cu’isso?!”

Peíodo: 18/04 a 23/04/10


  • Palestrantes da Mesa Solene de Abertura

  1. FONAPRACE;

  2. Reitor da UFMT;

  3. MEC;

  4. Ex-morador;

  5. COENCE-SENCE.


  • Palestrantes da Mesa 1 – A Assistência que temos e a Assistência que queremos

1. Palestrante sobre Políticas Públicas- Sarah Graneman;

2. Palestrante sobre Conjuntura Internacional, Nacional e Regional- Haroldo;

3. Coord. Regional da SENCENNE- Danilo Kamarov


  • Palestrantes da Mesa 2 – Contexto das Casas Autônomas, Estaduais, Municipais, Privadas, Filantrópicas e Repúblicas

  1. Profa. Rita de Cássia- Pró-reitora de Assuntos Estudantis da UFPR; 18 votos

  2. Representante de casa autônoma (Presidente da CEU do PR); 16 votos

  3. Frederico- estudante da UFBA- representante da Associação de Casas de estudantes da BA (ACEB’s). 12 votos


  • Palestrantes da Mesa 3 - Inclusão onde e para quê: Modelo de Educação e Auxílio Permanência na Universidade

  1. Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis UFMT;

  2. Prof. Ivo Tonet- Educação enquanto processo de emancipação humana (UFAL);

  3. Representante da SENCE ou COENCE;


* Grupos de Discussão

  1. Como operacionalizar a permanência: Políticas Públicas, estratégias de criação e ampliação de vagas nas Casas;

  2. PNAES;

  3. Regimento Interno Disciplinar Estudantil nas universidades;

  4. Como despertar o interesse pelos Movimentos Sociais e a descriminalização dos mesmos?

  5. Qual o papel da SENCE dentro do Movimento de Casas e como resgatar os residentes para o Movimento de Casas?

  6. Casas municipais, estaduais e federais;

  7. Casas autônomas, filantrópicas, particulares e repúblicas;

  8. Estatuto: Pré-Ence e o que é uma casa de estudantes;

  9. Vivência;

  10. Diversidade: gênero, etnia e religião;

  11. Vestibular Unificado;

  12. Acessibilidade, Desenho Universal;

  13. Creches;

  14. Reuni;


* Oficinas definidas

  1. Drogas; Antônio da UnB

  2. Movimento Estudantil- Conexões de Saberes; Wanderson- UFRJ

  3. Proposta do Geraldo; UFPR

  4. Estudo sobre os aspectos jurídicos das fundações, associações,ONG’s,etc.; Giovanni- UFRJ

  5. Formalização do Domínio e da hospedagem do site da SENCE; Alexandre- UFRJ

  6. Associação dos ex-componentes do ENCE; Ciro- UFRJ

• DELIBERAÇÕES
1. As Oficinas realizar-se-ão na sexta-feira de manhã;
2. Não haverá tempo limite para as culturais;
3. Um dia para a cultural das delegações e a COENCE fica responsável por organizar ou mesmo encaminhar os demais dias para a cultural;
4. 20 min para cada debatedor com meia hora de debate para a mesa de abertura;
5. A mesa de abertura será composta por 5 pessoas e as demais por 3;
6. Caso algum participante que não seja algum estudante não comparecer dever-se-á deixar a cadeira em branco, porém a COENCE autonomia;
7. Haverá certificação para as culturais;
8. Que os Baners fiquem em lugar de fácil visibilidade e acesso. Salientando que poderão estar no mesmo lugar da Plenária;
9. Dever-se-á ser garantido o certificado para os trabalhos expostos e o mini-curso, bem como deve-se formular modelo para o mesmo;
10. Os residentes que apresentarem trabalhos no encontro terão direito ao certificado;
11. Só receberá certificado aqueles(as) que tiverem no mínimo 75% de freqüência, sendo que as mesmas serão controladas pela COENCE;
12. Recomendação: colocar oficinas com filmes, curtas, etc.;
13. Integrantes do mini-curso: Suelio, Teodoro, Ciro e Idayana;
14. Orientação para a COENCE: tentar providenciar a cobertura do evento, através de fotografias e filmagens.

PROPOSTAS APRESENTAÇÃO DAS CASAS:
Segunda de noite junto com a cultural

PLENARINHA:
Quorum de 80% 11

_____________
Enviado Idayana na lista nacional da SENCE
danilo, feop/se
sencenne coord. regional

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Nota de Esclarecimento do Piauí para SENCE BRASIL (Secretaria Nacional de Casas de Estudantes do Brasil)

Não bastavam as suspeitas fraudes que o presidente da Casa do Estudante do Piauí se envolveu, com fortes suspeitas de desvio da nossa verba, denunciamos ao Ministério Publico em forma oficial, a Secretaria Estadual da Educação e na impressa e nada foi feito até o presente momento.
Agora governo do Piauí na pessoa do Sr. governador Wellington Dias, juntamente com o candidato a sucessão do governo Sr. Secretário da Educação Antonio José Medeiros, envia um belo presente de natal aos estudante do Piauí solicitando que os residentes da residência masculina da (av. José santos e silva) e feminina (piçarra) de Teresina e da residência do município de Floriano deixe o prédio alugado pelo estado até o dia 20 (vinte) de dezembro de 2009, alegando que o estado não tem como arca com as despesas realizado com os alunos residentes, os alunos da residência masculina de Teresina nos procurou em nossa residência da Rui Barbosa – centro(VERDÂO) , procurando abrigo, mas como nossa casa comporta mais de 100 pessoas, e estar super lotada, mesmo assim a direção da residência juntamente com o outro presidente estão conversando entre si, afinal eles não conversa com os moradores a respeito desse assunto, estão procurando encaixar alguns moradores em nossa residência.
Os moradores da residência central nunca foram informados sobre o assunto, o presidente não tem dialogo. A nossa residência até o presente momento nunca recebeu um comunicado por parte do estado informando sobre esse acontecimento, o secretário de educação fica sempre ameaçando os estudantes da central (VERDÂO), mandado recado por meio de assessores que vai corta a verba que é repassada a residência.
Segundo assessoria de comunitária/SEDUC, na qual presta assistência a residência nos informou que os presidentes fizeram um acordo entro sim, presidentes e secretaria de educação.
Que nosso Natal e o ano de 2010, seja diferente como novas atitudes construtivas.

Att,
Estudante da Residência (VERDÂO)

Constancio Muniz
9433-2085
José Antônio de Sousa Oliveira
Sócio-morador da Casa do Estudante do Piauí
Serviço Social/ICF
(86) 9414.4497/8812. 4985


Enviado à lista da SENCE em 17/12/09
Postado por:
Idayana Marinho
Coordenação de Comunicação da SENCENNE
Casa da Estudante Universitária (CEU-F/UFPE)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Assistência Estudantil e encontros de estudantes

Para: FEMEH

Federeção do Movimento Estudantil de História

06/12/09

A SENCE – Secretaria Nacional de Casas de Estudantes, em consonância com suas últimas deliberações1, busca diálogo com a FEMEH - Federação do Movimento Estudantil de História no sentido de fortalecer a proximar as lutas dos movimentos sociais, neste caso o movimento estudantil.

Sendo a SENCE composta por estudantes de origem popular2, e mais especificamente residentes de casas de estudantes, apoia e reforça a luta do movimento estudantil de história na defesa de uma assistência estudantil de qualidade e de uma universidade popular, voltada para a classe trabalhadora.

É importante esta troca de experiências, pois não podemos fragmentar os movimentos esquecendo o objetivo em comum que é a transformação social, ou seja, a contrução de uma sociedade justa e igualitára. Contudo, as dificuldade inerentes aos/às estudantes de origem popular (gastos com transporte, alimentação, cópia, etc) impendem também de participarem de atividades para além da sala de aula, o que infelizmnete inclui o movimento estudantil.

Neste sentido, a SENCE proprõem à FEMEH a isenção na taxa de inscrição3 dos encontros estudantis de história para os/as estudantes de origem popular moradores e moradoras de casas de estudante. Com isso, fortalemos o movimento estudantil, podendo discutir com mais propriedade questões como assistência estudantil e universidade popular.


Cordialmente,
Secretaria Nacional de Casas de Estudantes Regional Norte Nordeste

sencebrasil@gmail.com / sencenne@gmail.com

sencebrasil.blogspot.com


1Ver algumas delicerações no anexo 1, retiradas do blog < sencebrasil.blogspot.com > .

2Para maior compreensão deste conceito acessar o documento “Histórico e Proposições do FEOP” no blog do Feop <>.

3Ver proposta em anexo.



Anexo 1 – Deliberações da SENCE


XXXIII SENCE (2009, UFPA)

GT 3 – Meios de inclusão no movimento estudantil de casas

  1. Utilizar as assembléias após cada encontro para divulgar a SENCE, o ENCE e os ERECE`s, focando suas deliberações e a importância do movimento de casas.

  2. Investir em manifestações artísticas para sensibilização e conscientização política, bem como aproveitar os eventos da universidade para dar visibilidade às Casas de Estudantes e ao movimento nacional de Casas.


XXXII SENCE (2008, UFSM)

MESA 2 GT 1 – Representatividade e legitimidade nas instâncias do governo e das universidades – como participa

1. Trabalhar em conjunto com as demais instâncias (DA ou CA, DCE, DAE) entidades estudantis dentro da universidade respeitando as especificidades de cada instituição.

MESA 2 GT 3 – A relação com os movimentos, oficiais e sociais (fonaprace, dces, etc.)

3. Maior participação dos residentes de cada casas de estudantes nos fóruns deliberativos da universidade.

MESA 3 GT 3 – Políticas de permanencia e acoes afirmativas

5. Apoio da SENCE as políticas de ações afirmativas e defender as cotas sociais e raciais nas comunidades.





ANEXO 2


PROPOSTA PARA EFETIVA A ISENÇÃO DE ESTUDANTES DE ORIGEM POPULAR NO ENCONTROS DE HISTÓRIA


Alguns elementos para nortear a política de isenção:


a) O período de isenção será divulgado e realizado com antecedência.

b) Terá direito à isenção o/a estudante que comprovar mediante declaração da instituição de ensino superior ou da respectiva entidade estudantil representativa na qual reconhece o/a estudante como beneficiária de politica de assistência estudantil ou de ação afirmativa.

As entidades podem ser a SENCE e o FEOP; o Conselho de Residêntes, Associação de Casas de Estudantes, a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis, o Departamento Universitário ou órgão institucional equivalente.


________
danilo, feop/se
sencenne coord. regional

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Assistência estudantil não deve exigir contrapartidas

Debatedores do I Seminário sobre a Política de Assistência Estudantil concordam que aluno deve se dedicar somente aos estudos

Benefícios da assistência estudantil são direitos e não devem exigir contrapartidas do aluno. Essa foi a posição defendida por debatedores e participantes do I Seminário sobre a Política de Assistência Estudantil: desafios e perspectivas. O seminário acontece até quarta-feira, 9 de dezembro, no Auditório Dois Candangos.

“As únicas contrapartidas devem ser os objetivos do aluno dentro da universidade: a formação acadêmica e pessoal com qualidade”, afirmou a decana de Assuntos Comunitários da UnB, professora Rachel Nunes.

O professor da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Gabriel Palafox argumentou que a política assistencial não pode nem deve colocar nenhuma condição a não ser estudar e tirar boa nota. “Essa lógica mercadológica de que o estudante tem de oferecer algo em troca tem de ser superada”, critica.

O aluno de pós-graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal de Goiás (UFG) Suélio Araújo acredita que os estudantes de baixa renda que recebem benefícios têm o mesmo direito que os demais de se dedicar exclusivamente aos estudos. Na UFG, os discentes que recebem a Bolsa Permanência, um auxílio de R$ 220, precisam trabalhar 20h semanais na própria universidade, em sua maioria em atividades administrativas.

“Como esse aluno de baixa renda vai competir com os de classe média que podem se dedicar somente aos estudos e têm tempo para fazer estágio em sua área de atuação?”, questiona Suélio. Ele defende ainda que é direito do estudante ter tempo para atividades culturais e de lazer porque elas também enriquecem a formação do aluno.

INDICADORES – O gestor governamental do MEC Lucas Ramalho lembrou a necessidade de se criar indicadores para medir a eficácia das políticas de assistência estudantil no Brasil. “É preciso mostrar os resultados para garantir a continuidade dessas políticas em um quadro de mudança de governo em 2010”, explicou. O gestor sugeriu medir taxas de conclusão da graduação ou de evasão escolar para que se tenha um cenário de avaliação.

A decana Rachel Nunes lembra que o Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) do MEC é recente, foi implantado em 2008, e por isso há dificuldade em definir indicadores. Mas acredita que até 2010 já seja possível levantar dados para comparar. E reforça: “Indicadores também são importantes para mostramos para a sociedade como o recurso está sendo investido e para podermos avaliar as políticas e atender cada vez melhor os alunos”.

Participaram da mesa de debates desta terça-feira o professor da UFU Gabriel Palafox, o pró-reitor de Assuntos da Comunidade Universitária da UFG Ernando Filizzola, a diretora de Apoio e Integração Acadêmica da UnB, Nina Laranjeiras e a coordenadora de Apoio e Pós-Graduação da UnB, Georgete Rodrigues. O reitor da UnB José Geraldo Junior e a secretária de Educação Superior do MEC Maria Paula Dallari Bucci participaram da mesa de abertura. As atividades do seminário nesta quarta-feira começam às 8h30 no Auditório Dois Candangos.

_____
enviado por antônio na lista nacional da SENCE.
retirado do site da UnB.
danilo, feop/se
sencenne coord. regional

Confraternização de Residentes em Sergipe

No domingo, 29/12/09, aconteceu a confraternização das/os residentes de Sergipe. A reunião foi ótima, principalmente porque contou com a presença de residentes de todos os campi (Itabaiana, Laranjeiras e São Cristóvão). E mais, contou com ex-residentes também!!

A preparação foi cansaiva, levou um dia inteiro, sem contar a semana corrida pra agilizar da melhor forma possível.
Mas valeu a pena. Alegria, amigas, amigos, comidas, bebidas e muita música!!
Ainda tivemos três shows: um da madona (foto acima, Estevão, residente de Laranjeiras), dança com a Colegial Dalila (abaixo) e...

um pouco de voz, violão e emoção.
Diversos residentes tocaram, na foto acima temos Binho e John
Aqui foi a apresentação coletiva e presencial do Conselho de Residentes, gestão Mais Além...
O grupo já havia se apresentado nas eleições, ja fez visitas em cada casa discutindo assistência estudantil, mas essa foi a primeira oportunidade de se apresentarem a todos e todas reunidas.

Abraços e força na luta

danilo, feop/se
sencenne coord. regional

Blog da CEUL (Casa do Estudante Universitários Leopoldense)


Acesse aqui o blog Resistência Popular.


Enviado por: Rafael(residente da CEUL) à lista da SENCE
Postado no blog por: Idayana (Coord. de Comunicação da SENCENNE e residente da CEU-F/UFPE)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

UFPel é escolhida para coordenação regional do Fonaprace


Durante o Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace), que se realizou recentemente em Belo Horizonte, foram escolhidas as coordenações regionais e nacionais do Fórum, sendo a Universidade Federal de Pelotas (UFPel) escolhida para a Coordenação Regional da Zona Sul, representada pela pró-reitora de Assuntos Estudantis e Comunitários, Carmen de Fátima de Mattos do Nascimento.

O Fonaprace tem por objetivo trabalhar na formação de uma política de assistência aos estudantes, para garantir-lhes o acesso e a permanência nas instituições de ensino, dando o suporte e assegurando-lhes as ferramentas necessárias para o desenvolvimento acadêmico e a conclusão do curso.Além disso, a UFPel ficou incumbida da realização de um encontro de assistentes sociais que fazem parte da Coordenação da Zona Sul. O Encontro aconteceu nos dias 26 e 27 de novembro, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), contendo a seguinte pauta:
1. Apresentação do trabalho de análise socioeconômica realizado pelas IFES;
2. Identificação de temas para serem discutidos e aprofundados;
3. Sugestões e encaminhamentos diante do tema.

Foram representadas no encontro, além da UFPel como organizadora e a UFRGS como sede, a Fundação Universidade Federal do Rio Grande (Furg), a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Notícia retirada do site: http://ccs.ufpel.edu.br/wp/2009/12/07/ufpel-e-escolhida-para-coordenacao-regional-do-fonaprace/.

Idayana Marinho
Coordenação de Comunicação da SENCENNE
Estudante da Casa da Estudante Universitária Feminina(CEU-f/UFPE)

Vice-prefeita de Caetité se solidariza com a REG

"Nenhum passo atrás que não seja para tomar impulso"(Che).
Para conhecimento!

Divulgue essa notícia imprimindo-a e colando-a onde puder. Por favor, encaminhe para o máximo de contatos possíveis. Forte abraço da REG!
Em email encaminhado à REG, a vice-prefeita de Caetité, Dra Fátima, se solidariza com a luta dos estudantes de Guanambi. Veja abaixo:

"Parabéns, estudantes da residência de Guanambi. Quero neste momento solidarizar com vocês, pois já passamos por isso em Caetité em 1979, quando queiseram acabar com a nossa residência, foi uma luta que mobilizou todos os estudantes e os baianos, chegando a ser decretada uma greve de fome e fomos vitoriosos, depois houve um distanciamento da residência e da nossa sociedade, que acabou fechando bem posterior. Por acreditar na união de vocês e na ligação com o povo de Guanambi, esta luta vai ser vitoriosa. Vai em frente rapaziada." Maria de Fátima Silveira de Oliveira - vice prefeita de Caetité


Agradecemos profundamente a Dra Fátima pela mensagem de apoio. Sempre acreditamos que os laços que unem os nossos municípios devem ser cada vez mais fortificados. A luta dos povos não têm fronteira.


Casa Própria para a REG: nossa vitória, vitória do povo!
Acompanhe as lutas da REG: www.blogdareg. blogspot. com

____
Notícia vinda da lista local da ACEB, enviado por Frederico pela lista da SENCE
danilo, feop/se
sencenne coord. regional

ATO da casa do estudante universitário leopoldense em defesa da moradia

Onde: ceul (rua primeiro de março, 729, centro)
quando: 09 de dezembro, às 18h
o que vai ter: música, palavras de ordem e grafitagem
é importante a participação de todos e todas!

ceul realiza ato em defesa do direito à moradia estudantilA Casa do Estudante Universitário Leopoldense (CEUL) realizará na tarde desta quarta-feira, 09, um ato em defesa da moradia estudantil. A partir das dezoito horas, haverá grafitagem da fachada lateral do prédio, intervenção musical e palavras de ordem. A entidade, que se localiza na Rua Primeiro de Março, 729, Centro, encontra-se ameaçada pelo Projeto de Lei 184/2009, de autoria do Governo do Estado. Ele autoriza a venda e o leilão do imóvel pertencente ao Departamento Autônomo de Estrada e Rodagens (DAER/RS).

Os moradores contam com a participação de ex-residentes, amigos, estudantes da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), movimentos sociais e de toda comunidade da região metropolitana de Porto Alegre. O objetivo é dar publicidade à ação do Governo, que deseja acabar com uma organização responsável por abrigar universitários há mais de quarenta anos. Desde o dia 12 de agosto, o Projeto de Lei se encontra na Assembléia Legislativa e pode ser votado a qualquer instante.

Em nenhum momento, a CEUL recebeu qualquer notificação do documento, descobrindo por acaso um processo que pode dar rumos trágicos à entidade. Se o Projeto for aprovado pelos parlamentares, os moradores serão expulsos do local e a casa não terá como alojar estudantes da região metropolitana, que dividem entre si o custo da sobrevivência sem auxílio do Estado ou das universidades.


Esta é a segunda tentativa do DAER de vender o imóvel. Em 2006, um Projeto de Lei do Governo do Estado semelhante foi barrado no Legislativo pela mobilização dos moradores com o apoio da população. No entanto, o engavetamento daquela proposta não foi suficiente para diminuir o interesse imobiliário pela casa, situada em região central da cidade, o que a torna valorizada.

Sendo assim, a CEUL vem a público informar que não aceitará passivamente a imposição do Governo. A casa se encontra mais do que nunca em luta por moradia. Seus moradores já estão novamente mobilizados para o convencimento dos parlamentares que, pela experiência história, não virá sem pressão por parte da sociedade.

Ao longo da sua história, a Casa ajudou mais de 200 estudantes de baixa renda, que, beneficiados pela moradia barata, conseguiram concluir seus estudos, tornando-se profissionais dos mais diversos ramos. Na maioria, jovens oriundos de localidades distantes do Rio Grande do Sul ou mesmo de outros Estados. Todo ano dezenas de universitários procuram a CEUL em busca de um lugar para ficar, através da seleção de moradores ou de pedidos de hospedagem, inclusive para intercambistas.


Atualmente, a Casa abriga discentes de Administração, Arquitetura, Ciências Sociais, Comunicação Social, Direito, Educação Física, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Engenharia Elétrica, Formação de Músicos e Produtores de Rock, Gestão Ambiental, História e Letras da Universidade do Vale do Rio dos Sinos e da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Já existe um projeto de ampliação da CEUL para abrigar cerca de quarenta estudantes, mas que por falta de recursos ainda não foi efetivado.


Histórico

A Casa do Estudante Universitário Leopoldense tem sua origem em 1969, meses depois da inauguração da Unisinos. Naquele ano, um grupo de discentes da universidade resolve se reunir sob o mesmo teto, nas antigas dependências do pré-seminário pertecente à Associação Evangélica Evoti, dividindo despesas de aluguel e criando um ambiente de convívio estudantil.


A luta pelo direito a moradia teve início em 1977, quando a Associação obrigou os moradores a abandonar o prédio dentro do período de um mês, pois tinha outros interesses para o mesmo. Os estudantes resistiram e só saíram do local em abril de 1983, que passara a pertencer ao Museu Histórico de São Leopoldo. Sem alternativa, os moradores se transferiram para o prédio do Castelinho, atual Câmara Municipal de São Leopoldo.


Depois da ocupação do prédio pelos estudantes, a Prefeitura, descontente com o caso, resolveu pedir o destombamento do Castelinho para a ampliação da Avenida Dom João Becker. Em junho de 1983, a antiga Casa do Estudante é demolida, com desrespeito à lei, pois o prédio havia sido tombado pelo Patrimônio do Estado.

Após tentativa de reconstruir o Castelinho, os moradores se dividem e alguns mudam-se para o endereço da Rua Primeiro de Março, 729, Centro, em prédio cedido pelo DAER. Outros iniciam a construção de uma nova casa com sede na Avenida Unisinos, que viria ser fundada em 1991, recebendo o nome de Casa do Estudante Cristo Rei – CEUNI.

Para mais informações, eis os nossos contatos:

Casa do Estudante Universitário Leopoldense – (51) 3592-1668
Rafael Cavalcanti (comissão de Comunicação) – (51) 8198-9011
E-mail: casaceul@gmail.com
Blog: http://www.ceusaoleo.blogspot.com
Endereço: Rua Primeiro de Março, 729, Centro.
_____________
Enviado na lista nacional da SENCE
danilo, feop/se
sencenne coord. regional

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Sede da Ceul a perigo


Com 40 anos de história comemorados em 2009, a Casa do Estudante Universitário Leopoldense (Ceul) convive agora com o risco de venda da atual sede e despejo de seus moradores. Um projeto recente da governadora Yeda Crusius é a causa do pesadelo. Venda da Ceul pode ser votada a qualquer momento na Assembleia Legislativa. Localizada no centro de São Leopoldo, o imóvel pertence ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer/RS). O Projeto de Lei (PL) 184/2009, enviado pela governadora à Assembleia Legislativa no último dia 14 de agosto, autoriza a entidade a vender o prédio, que desde 1984 é ocupado pelos estudantes, com termo de autorização de uso obtido em 1990. Após ter uma proposta semelhante recusada pelo Legislativo em 2006, esta é a segunda tentativa de venda pelo Daer. De acordo com o texto encaminhado pela governadora, o interesse da autarquia é vender o prédio via processo licitatório. Em documento enviado ao Portal3, os dirigentes da Casa consideram o caso um “conluio com a especulação imobiliária de São Leopoldo, que visa ao lucro exorbitante à custa do despejo de estudantes”.
Má notícia chegou por acaso

O presidente da Ceul, Adimilson Renato, estudante de Ciências Sociais da Unisinos, afirma que os moradores não foram notificados sobre o PL, e que descobriu o documento casualmente, pesquisando na internet. “Buscava notícias que eventualmente saem sobre a Casa, e deparei com o documento. Foi um susto enorme, que gerou muita apreensão”. Após tomar conhecimento do fato, Renato comenta que o momento é de buscar apoio. “Queremos divulgar à sociedade o que aconteceu e buscar ajuda também da universidade. A moradia estudantil é um papel que caberia ao Estado e agora o próprio governo quer acabar com a entidade, jogando baixo”.

Nascida no mesmo ano em que a Unisinos, ao longo de sua história a Ceul já abrigou mais de 200 estudantes e intercambistas de baixa renda. Atualmente, residem 14 universitários, todos de diferentes cursos da Unisinos e da Uergs.
















Renato contou sobre o susto que levou ao deparar com o PL na internet


Aos simpatizantes da causa estudantil, o morador Rafael Cavalcanti, estudante de Jornalismo da Unisinos, ressalta que a Casa não irá desistir de manter sua sede atual: “Já estamos novamente mobilizados para o convencimento dos parlamentares, e para isso é preciso haver pressão. Quem quiser e puder contribuir com a luta, pode ajudar participando das atividades, moções de apoio e difundindo o fato”.

Acesse aqui o Projeto de Lei que autoriza a venda do imóvel pelo Daer.
Dia 26 de novembro de 2009

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Eleições do DCE da UFMT são canceladas após violação de urnas

Da Redação - Lucas Bólico
O que era para ser um dia de festa, pelo menos para uma das três chapas que concorrem ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), se tornou um dia para ser esquecido. Hoje, 24 de novembro, foi escolhido pela Comissão Eleitoral para ser o dia da votação para entidade de representação estudantil dentro da universidade.

As urnas foram abertas pela manhã, e não tardou para a confusão começar. Após denúncias de agressão entre os concorrentes e violação de urnas, não sobrou outra alternativa a não ser cancelar a eleição.

O tumulto começou já pela manhã, no Instituto de Linguagens (IL), quando representantes da chapa 3 (Inove) começaram a questionar a idoneidade do processo eleitoral. As insinuações ocorreram pelo fato de as cédulas de votação serem da mesma cor da chapa 2 (Ousar Lutar quando a Regra é se Vender), além disso as urnas só foram abertas por volta das 9h da manhã, o que teria prejudicado a chapa 3, segundo alguns membros.

Para Adoniran Judson, coordenador geral do Inove, vários colegas de curso que votariam no grupo político dele já tinham ido embora.

Indignado, Adoniran, querendo deslegitimar a eleição, tomou a urna dos mesários e a confusão começou. Após gritos e empurra-empurra, a urna foi rasgada e os votos caíram no chão. O bate-boca continuou até Adoniran se retirar do local. Mais tarde, segundo membros da Comissão Eleitoral, outras urnas foram atacadas.

A chapa 1 se juntou à chapa 3 para deslegitimar a eleição. Mário Pinto de Arruda Junior, membro da chapa 1, diz que a eleição não teve imparcialidade. Segundo ele, os membros da Comissão Eleitoral são do mesmo grupo político da chapa 2, o Movimento Rumo ao Socialismo (MRS).

Otávio Pedroso é membro da Comissão Eleitoral. Ele explica que o fato da coloração da cédula para a votação ser da mesma cor (laranja) da chapa 2, se deve a um erro técnico. “As cédulas eram verdes, quando foram enviados para a gráfica, foram imprimidas da cor laranja, por erro de configuração”.

Quanto à demora para a abertura das urnas, segundo ele, o problema foi de logística, eram apenas quatro estudantes para abrir as urnas em toda a UFMT.

Jaqueline Stevanato, coordenadora geral da chapa 2, explica que a atitude das correntes rivais era tumultuar o processo. Ela conta que ninguém teve acesso às cédulas antes da abertura das urnas. Ela ainda defende que poderia pedir a impugnação das chapas que tumultuaram o processo eleitoral, mas acredita que isso pode deslegitimar a eleição. “Esta hipótese já foi descartada”.

Para remarcar a data da eleição, a Comissão Eleitoral deverá convocar um Conselho de Entidade de Base (CEB), formado com todos os Centros Acadêmicos da universidade.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Governo do Estado tenta desalojar moradores da CEUL / RS

A Casa do Estudante Universitário Leopoldense (CEUL) informa a amigos, movimentos sociais e à toda comunidade de São Leopoldo que está sob o risco de perder a sua atual sede, localizada na Rua Primeiro de Março, 729, Centro. Isto porque a Governadora do Estado, Yeda Crusius, enviou para a Assembléia Legislativa o Projeto de Lei 184/2009, que autoriza o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER/RS) a vender o imóvel ocupado por estudantes desde 1984. O Projeto está com os parlamentares desde o dia 12 de agosto e pode ser votado a qualquer instante.

Em nenhum momento, a CEUL recebeu qualquer notificação do documento, descobrindo por acaso um processo que pode dar rumos trágicos a uma organização que há quarenta anos luta por moradia estudantil. Se o Projeto for aprovado pelos parlamentares, os moradores serão expulsos do local e a entidade não terá como alojar estudantes universitários da região metropolitana, que dividem entre si o custo da sobrevivência desassistida pelo poder público.

Esta é a segunda tentativa do DAER de vender o imóvel. Em 2006, um Projeto de Lei do Governo do Estado semelhante foi barrado no Legislativo pela mobilização dos moradores com o apoio da população leopoldense. No entanto, o engavetamento daquela proposta não foi suficiente para diminuir a ganância do órgão estadual que, em conluio com a especulação imobiliária de São Leopoldo, visa obter lucros exorbitantes à custa do despejo de estudantes trabalhadores.

Sendo assim, a CEUL declara a todos que se importam com o futuro da organização que não aceitará passivamente a imposição deste Governo corrupto e covarde. A casa se encontra mais do que nunca em luta por moradia. Seus moradores já estão novamente mobilizados para o convencimento dos parlamentares que, pela experiência história, não virá sem pressão por parte da sociedade. Portanto, todos aqueles que puderem contribuir com a luta o faça através de sua participação nos atividades, moções de apoio e difusão do fato.

Ao longo da sua história, a Casa ajudou mais de 200 estudantes de baixa renda, que, beneficiados pela moradia barata, conseguiram concluir seus estudos, tornando-se profissionais dos mais diversos ramos. Na maioria, jovens oriundos de localidades distantes do Rio Grande do Sul ou mesmo de outros Estados. Todo ano dezenas de universitários procuram a CEUL em busca de um lugar para ficar, através da seleção de moradores ou de pedidos de hospedagem, inclusive para intercambistas.

Atualmente, a Casa abriga discentes de Administração, Arquitetura, Ciências Sociais, Comunicação Social, Direito, Educação Física, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Engenharia Elétrica, Formação de Músicos e Produtores de Rock, Gestão Ambiental, História e Letras da Universidade do Vale do Rio dos Sinos e da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul. Já existe um projeto de ampliação da CEUL para abrigar cerca de quarenta estudantes, mas que por falta de recursos ainda não foi efetivado.

Histórico

A Casa do Estudante Universitário Leopoldense tem sua origem em 1969, meses depois da inauguração da Unisinos. Naquele ano, um grupo de discentes da universidade resolve se reunir sob o mesmo teto, nas antigas dependências do pré-seminário pertecente à Associação Evangélica Evoti, dividindo despesas de aluguel e criando um ambiente de convívio estudantil.

A luta pelo direito a moradia teve início em 1977, quando a Associação obrigou os moradores a abandonar o prédio dentro do período de um mês, pois tinha outros interesses para o mesmo. Os estudantes resistiram e só saíram do local em abril de 1983, que passara a pertencer ao Museu Histórico de São Leopoldo. Sem alternativa, os moradores se transferiram para o prédio do Castelinho, atual Câmara Municipal de São Leopoldo.

Depois da ocupação do prédio pelos estudantes, a Prefeitura, descontente com o caso, resolveu pedir o destombamento do Castelinho para a ampliação da Avenida Dom João Becker. Em junho de 1983, a antiga Casa do Estudante é demolida, com desrespeito à lei, pois o prédio havia sido tombado pelo Patrimônio do Estado.

Após tentativa de reconstruir o Castelinho, os moradores se dividem e alguns mudam-se para o endereço da Rua Primeiro de Março, 729, Centro, em prédio cedido pelo DAER. Outros iniciam a construção de uma nova casa com sede na Avenida Unisinos, que viria ser fundada em 1991, recebendo o nome de Casa do Estudante Cristo Rei – CEUNI.

Para mais informações, eis os nossos contatos:

Casa do Estudante Universitário Leopoldense – (51) 3592-1668
Rafael Butigahn (comissão de Comunicação) – (51) 8198-9011
E-mail: casaceul@gmail.com
Blog: http://www.blogdaceul.wordpress.com

____
Enviado por Rafael na lista nacional da SENCE

danilo, feop/se
sencenne coord. regional

Nota de esclarecimento-Mídia de Guanambi ataca Casa de estudantes

A REG, Residência dos Estudantes de Guanambi em Salvador, vem através desta nota agradecer, desde já, aos vereadores do município de Guanambi pela unanimidade na aclamação da emenda ao Plano PluriAnual que dispunha sobre a aquisição da Casa Própria para a REG em Salvador, votada na última segunda-feira, dia 23 de novembro. O pleito necessita agora da sanção do prefeito municipal.

Esta emenda, aprovada com louvor pelos legítimos representantes do povo, tem sido atacada covardemente por um radialista local em programa que vai ao ar semanalmente das 11h às 13h. Tal radialista vem promovendo uma campanha voraz contra a REG, entidade estudantil existente em Guanambi desde 1976 e que luta, historicamente, pelo acesso dos estudantes de baixa renda à universidade. Ressaltamos que o posicionamento deste radialista é absolutamente minoritário dentro da imprensa local bem como na sociedade de Guanambi.

A REG já beneficiou centenas de pessoas no nosso município, beneficia atualmente outras dezenas, e a compra da casa, que é bandeira histórica da nossa comunidade, irá beneficiar durante muito tempo outras centenas de estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Reputamos absolutamente falsas todas as acusações dirigidas à REG pelo supracitado radialista. É temerário, no Estado Democrático de Direito, a ofensiva promovida pelo aludido cidadão contra a comunidade estudantil guanambiense tentando deslegitimar a luta histórica do nosso povo.

Os atos da REG nas ruas de Guanambi não significam nada mais do que o exercício pleno da cidadania. Aliás, todas as nossas manifestações pacíficas em praça pública foram proferidas com a prévia autorização do poder público municipal. Portanto, nunca fomos para as ruas para promover desordem, como alega o mencionado sujeito.

Sabemos que o desafiador tem usado do seu programa de rádio para vociferar contra a REG na tentativa de influir na decisão do prefeito municipal. Tal radialista está tentando criar uma conjuntura desfavorável à sanção da emenda, através de informações capciosas e provocativas, tentando induzir a comunidade local.

Acreditamos que o manipulador não conseguirá êxito em sua empreitada. O nosso povo é bastante inteligente para não se deixar levar pela lábia de forasteiros. O prefeito de Guanambi, eleito democraticamente pela maioria absoluta dos votos, tem ampla independência para definir pela sanção ou pelo veto, conforme as necessidades da nossa comunidade.

A REG é patrimônio do povo de Guanambi. Está na luta há mais de 30 anos! Nunca estivemos tão perto da conquista da casa própria. Não vai ser um reles difamador que irá derrubar a vontade dos estudantes e da comunidade. Não vai ser um sujeito antidemocrático de tal estirpe, que irá deslegitimar a nossa luta. E, deixamos claro, que estamos abertos ao debate, em qualquer horário ou local, no mais amplo espírito da democracia e da cordialidade. Casa Própria para a REG: nossa vitória, vitória do povo!

Salvador-Ba, 27 de novembro de 2009
REG – Residência do Estudante de Guanambi

Assinam também esta nota:
UNE – União Nacional dos Estudantes
UEB – União dos Estudantes da Bahia
ACEB – Associação das Casas de Estudantes da Bahia
REPAMA – Residência dos Estudantes de Palmas de Monte Alto
REC – Residência dos Estudantes de Caetité
RECA – Residência dos Estudantes de Caculé
Postado por Residência do Estudante de Guanambi

____
enviado pro Frederico pela lista sencenne (regional norte e nordeste da SENCE).
danilo, feop/se
sencenne coord. regional

sábado, 14 de novembro de 2009

Blog da Casa do Estudante Universitário do PR

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Seminário de Moradia Estduantil (Residências UFBA) 07/11/09

No dia 07 de Novembro, aconteceu no Restaurante Universitário da UFBA o Seminário de Moradia Estudantil: um direito a cidade. Nomes importantes de diversos segmentos da sociedade baiana estiveram presentes no evento, como o Dep. Fed. Zezéu Ribeiro, o Dep. Estadual Yulo Otticica, a urbanista e Mestranda Glória Cecília, a Professora da UNEB e doutanda pela Unicamp Edilieuza Garrido, representante da SENCE Josisélia Chaves, o Representante da Caixa Economica Federal, e representantes da Pró-Reitoria de Assistência Estudantil.

O Seminário foi muito produtivo, discutindo os temascomo: o direito à cidade e luta pela moradia, o financiamento da assistência estudantil e as pluralidades e os desafios das moradias estudantis.





Retirado do blog das Residências UFBA.
Danilo, feop/se
Sencenne coord. regional

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Andifes defende assistência estudantil

novidades companheiros! E companheiras!!!

Andifes defende assistência estudantil

A aprovação de um plano nacional de assistência estudantil foi um dos principais resultados das reuniões do Diretório Nacional e do Conselho Pleno da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), realizadas nos dias 2 e 3 de julho deste ano, na UFPA. O objetivo é contribuir com a permanência de estudantes das classes C, D e E dentro das universidades, que hoje representam mais de 40% dos alunos regularmente matriculados. Foi a primeira vez, na história da Andifes, que as reuniões foram promovidas em Belém. Uma homenagem aos 50 anos da universidade.

Reitores de universidades públicas de todo o país discutiram a pesquisa e a proposta apresentadas pelo Fórum Nacional Pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace) e finalizaram o documento entregue ao Ministério da Educação (MEC) ainda em julho. Como estratégia essencial para dar sustentabilidade ao projeto, o documento aponta para a criação de um fundo, a ser constituído com recursos do MEC. Para este ano, as universidades propõem receber e dividir entre si R$60 milhões. Para 2008, R$120 milhões. Isso porque, atualmente, cada instituição recebe um volume de recursos com aplicação definida nas áreas fins - de ensino, pesquisa e extensão -, e têm muito pouca flexibilidade para investimentos em outras áreas classificadas como meio. Daí a sugestão de terem “verba carimbada” ou “rubrica específica” para a assistência, que não precisará mais depender exclusivamente da disputa por recursos junto a tantos outros desafios enfrentados em cada universidade.

Reitor da Universidade Federal de Uberlâdia (UFU/MG) e atual presidente da Andifes, Arquimedes Cilone acredita que o fundo dará mais condições para que cada instituição, de forma autônoma, defina projetos próprios às suas realidades regionais e diminua as disparidades de investimentos na área. Ele lembra que nem todas as instituições investem em moradias estudantis ou oferecem bolsa de auxílio permanência, mas, com os recursos “carimbados”, poderão fazê-lo. “Tenho certeza de que o ministro, com a sensibilidade que o caracteriza, saberá valorizar o esforço da Andifes e nos ajudará na criação dessa política”, afirma.

O Projeto Andifes para a Assistência Estudantil é parte de um conjunto de medidas que estão sendo promovidas pelos reitores do país. Arquimedes Cilone enumera, dentre elas, o estudo, em curso, sobre as causas da evasão na academia e os futuros debates sobre o impacto das políticas de inclusão, como a do sistema de cotas étnicas e sociais.

Perfil socioeconômico indica necessidade de apoio à permanência de universitários
Como órgão consultor da Andifes, o Fonaprace coordenou uma segunda pesquisa do perfil socioeconômico e cultural dos estudantes de graduação das Ifes brasileiras, nos anos de 2003 e 2004. Com base nesse trabalho, apresentou uma proposta preliminar para apreciação dos reitores. O documento atualiza a primeira pesquisa, realizada nos anos de 1996 e 1997, e o projeto apresentado em 2001, mas que não foi assumido pelo Governo Federal à época.

Pró-reitora de Assuntos Estudantis da Universidade Federal de Santa Catarina e coordenadora nacional do fórum, Corina Martins Espíndola acredita que o momento político agora é propício para a consolidação de um plano nacional, ainda mais necessário diante do estímulo do Governo Federal ao processo de inclusão e expansão das universidades. “Se a gente consegue ter uma qualidade do ensino fundamental e médio, com certeza os estudantes da rede pública terão condições de ter acesso às universidades federais, ou seja, é uma demanda por assistência estudantil”, argumenta. O fórum também realiza levantamento sobre as estruturas organizacionais de que as Ifes dispõem para realizar a assistência.

Além dos prejuízos sociais, os altos índices de evasão e retenção nas universidades também reduzem a eficiência do sistema universitário e custam caro ao governo. E, para o Fonaprace, as dificuldades socioeconômicas são parte do conjunto de fatores que podem induzir a esse cenário. “Vivenciei isso. Não teria condições de fazer universidade paga e, se não tivesse apoio de algum programa dentro da instituição, com certeza não permaneceria no curso”, relata Corina.

A segunda pesquisa do Fonaprace alcançou um universo de quase 90% das Ifes brasileiras e construiu o perfil dos estudantes de graduação a partir de dez indicadores sociais: migração e moradia, alimentação, manutenção e trabalho, meios de transporte, saúde, acesso à biblioteca, cultura, esporte e lazer, conhecimento básico de informática, domínio de língua inglesa e engajamento social. A pesquisa identificou que mais de 40% dos entrevistados pertencem às classes C, D e E, com renda familiar inferior a R$900,00 mensais.

Corina destaca que a pesquisa e a proposta apresentadas à Andifes priorizaram a graduação por ter uma demanda maior de estudantes e por ser a condição básica para que o estudante ingresse na pós-graduação.

UFPA prevê aperfeiçoamento da assistência em todos os campi
Com a aprovação do novo estatuto e regimento interno da UFPA, a Pró-reitoria de Extensão (Proex) passará a contar com a Coordenadoria de Assistência ao Estudante, concentrando as ações e construindo uma política para o setor na instituição. Mesmo sem essa unidade específica, a pró-reitora de extensão, Ney Cristina de Oliveira, diz que a universidade tem avançado e mantém, por exemplo, o Restaurante Universitário com subsídio para alimentação (R$1,00); a Casa da Estudante Universitária, em Belém, e as moradias em Altamira e Bragança, em parceria com as prefeituras; apoio às viagens acadêmicas; apoio em quatro linhas de bolsas; apoio ao Serviço de Atenção Psicossocial (Saps); seguro de vida aos estudantes em pesquisa de campo; administra a rubrica “apoio ao estudante universitário”, para viagens a trabalho de alunos de centros acadêmicos; e biblioteca e laboratórios de informática em todos os nove campi no interior. Cerca de 12% do orçamento de custeio da UFPA são destinados à assistência.

Os desafios, afirma Ney Cristina, são grandes e tendem a aumentar. A partir de 2007, 50% dos estudantes que ingressarem na UFPA serão oriundos do sistema de cotas. Isso significa, diz ela, que a instituição deverá ter mais atenção com a permanência dos alunos, especialmente os que ingressarem em cursos que tradicionalmente não absorvem a população de baixa renda, como Odontologia, e que demandam investimento em livros e equipamentos caros.

Hermes Oliveira Gomes
Graduando de Administração
Coord. De Finanças da Secretaria Norte/Nordeste de Casas de Estudantes - SENNCE
Membro da Coordenação Nacional de Casas de Estudantes – SENCE
Residente da R1-UFBA
ACEB -ASSOCIAÇÃO DE CASAS DE ESTUDANTES DA BAHIA
BLOG: www.acebdebate.blogspot.com

_____________
danilo feop/se
sencenne coord. regional

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Blog das Residências da UFRN - Sou Residente

"Não Somos mais os mesmos... E somos somente aqueles de antes...Temos ou queremos "Uma nova Consciência e Juventude"... Já fomos acusados de tudo: distraídos, superficiais e até de egoístas. Mas nos preocupamos com o meio ambiente, temos valores morais e estamos prontos pra mudar o mundo! Ser residente é ser carente valente e lutador do interior e levantar a bandeira que tudo iremos conseguir, chegamos aqui e vamos muito alem!"

É com essa apresentação que começa o Blog das Residências Universitárias da UFRN. Confira aqui
http://souresidente.blogspot.com/

danilo feop/se
sencenne coor. regional

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

I Caruru da Diversidade (UFBA) 07 de novembro

Ainda para quem não tomou conhecimento, no último dia 25 de outubro, as Residências da UFBA realizaram o I Caruru da Diversidade, não obstante, os jovens universitários Gays das Residências relançaram o GGR (Grupo Gay das Residências). E participam decididamente das mais variadas atividades nestes espaços.

E sábado agora (07/11/09), participarão de mesa dento do Seminário Moradia Estudantil: uma luta pelo direito à cidade.

Segue a programação e o seguinte e-mail para os interessados se inscreverem: moradia2009residencias@yahoo.com.br
Observem a programação:

Programação:
SÁBADO, 07 DE NOVEMBRO DE 2009

8h - Credenciamento e distribuição de material

8h30 - Mesa de Abertura
Associação de Casas de Estudantes do Estado da Bahia
Representação das Residências Universitárias da Ufba
Secretaria Nacional de Casas de Estudantes
Reitoria da Ufba
Secretaria de Educação do Estado
Representante da Caixa Econômica

9h10 - Mesa 01: Direito à cidade e luta pela moradia
Secretaria de Desenvolvimento Urbano
Mônica Aragão – Defensora Pública do Estado da Bahia
Glória Cecília – Urbanista e mestranda em Urbanismo na Ufba
Sindicato dos Engenheiros da Bahia (Senge)
Coordenação da Mesa: Wanderson Pimenta Souza - Estudante de Direito, Coordenador Geral da Aceb e Morador da Residência Municipal de Guanambi.
Relatora: Geiziane Matos - Estudante do Curso de Direito e Residente da R III

9h40 - Debate da Mesa 01

10h10 – Lanche


10h25 - Mesa 02: Assistência Estudantil e Financiamento
Álamo Pimentel – Pró Reitor de Assistência Estudantil da Ufba
Josinélia Chaves – Estudante de Letras, Representante da Sence, Moradora da RIII e Ex-representante das Residências Universitárias da Ufba.
Dep. Estadual Yulo Oiticica - Parlamentar membro da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembléia Legislativa do Estado da Bahia
Dep. Federal Zezéu Ribeiro Secretara Estadual de Educação
Coordenação da Mesa: Marlus Pereira – Estudante de Nutrição, Membro do Centro Acadêmico e Representante Geral das Residências Universitárias da Ufba e Morador da RI.
Relatora: Renata dos Anjos Pinheiro - Estudante de História e Residente da RII

11h05 – Debate da Mesa 2

12h – Almoço

14h - Mesa 03: As Pluralidades e os Desafios das Moradias Estudantis.
Rejane de Oliveira - Coordenadora de Ações Afirmativas, Educação e Diversidade da Pró – Reitoria de Assistência Estudantil
Hermes Gomes - Representante da Sence, Morador da RI, Estudante de Administração e Ex-representante das Residências Universitárias da Ufba.
Diego de Andrade - Membro do Núcleo de Evangelização das Residências Universitárias, morador da RI e Estudante de Eng. Elétrica
Thiago Teixeira - Estudante de Medicina e Bolsista Tipo II
Amon Pedrosa - Representante do Grupo Gay das Residências Universitárias (GGR), Formando em Ciências da Computação e Morador da RI.
Coordenação da Mesa: Efson Lima – Representante Geral das Residências Universitárias da Ufba e Morador da RII
Relator: Charleandro Machado - Estudante de Artes Plásticas e Diretor de Cultura e Esportes da Aceb.

15h20 - Lanche

15h40 - Debate da Mesa 3

_________
enviado por Efson na lista nacionald a SENCE.
danilo feop/se
SENCENNE coord. regional

Seminário sobre Moradias Estudantis: uma luta ao direito à cidade

As Residências Universitárias da UFBA, ACEB (Associação de Casas de Estudantes da Bahia) e a SENCE (Secretária Nacional de Casas de Estudantes) promoverão seminário com o tema Moradia Estudantil - uma luta ao direito à cidade no dia 07 de Novembro, a partir das 08h no Restaurante Universitário do Corredor da Vitória, tendo como público alvo residentes, bolsistas alimentação, tipo 2 (moradia), moradores das casas municipais e comunidade em geral. O seminário se pautará também nas questões da Assistência Estudantil, sendo a moradia uma parte da mesma.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do e-mail: moradia2009residencias@yahoo.com.br. Os inscritos receberão certificados.

Pela noite, as instituições promoverão juntas, o Halloween das Residências Universitárias. A partir das 21 horas.

_________
Enviado por Efson pela lista nacional da SENCE.
danilo feop/se
sencenne coord. regional

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

IV ERECE SUL 2009 (30/10 a 02/11/09) CEFAV, Porto Alegre/RS


CASA DO ESTUDANTE DAS FACULDADES DE AGRONOMIA E
VETERINÁRIA - CEFAV

Porto Alegre, 20 de setembro de 2009
Prezados(as) moradores(as) da região sul do Brasil,


A casa de estudantes das faculdades de agronomia e veterinária da UFRGS convida a todos os residentes estudantis da região sul, para participar do IV ENCONTRO REGIONAL DE CASAS DE ESTUDANTES. Acontecerá entre os dias 30 de outubro a 02 de novembro de 2009, na cidade de Porto alegre. O encontro tem por objetivo integrar as moradias da região, bem como pautar a assistência estudantil em âmbito regional e nacional nas políticas das universidades e governamentais. Receberemos com muito prazer todos os residentes estudantis com alojamento e espaço para barracas. Será cobrado um valor mínimo para as despesas do encontro, ainda não definidas pela organização, mas que possibilitará a participação de todos interessados.
Sugerimos que os participantes tragam barraca, roupas de frio, pratos, talheres, instrumentos musicais.


Atenciosamente,
COMISSÃO ORGANIZADORA IV ERECE SUL
Karine Kerr, Milton Ambrust, Pablo Leandro Proença Ferreira

Informações
eumundo@ibest.com.br
(51) 3308 62 50 / (51) 8165 04 12


Av. Bento Gonçalves, 7712, Campus do Vale - UFRGS, Agronomia, Prédio 41402
Fone (51) 3308-6250 http://www.ufrgs.br/cefav


____
danilo feop/se
sencenne sec regional

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Convocatória Pré-Ence RJ de 30 de outubro a 02 de novembro



Segue a convocatória definitiva do pré-ence.
_______
Enviada pela Comissão Orgnaizadora.
danilo feop/se
sencenne coor. geral

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Ocupação da Undec pela residencia da UEFS

Olá companeiros segue carta aberta de residencia universitaria da UEFS-BA que ocupou a
Undec em protesto pela super lotação da casa e atraso na entrega da construção e reforma.

Permananêcia estudantil na UEFS????
Residência super lotada ocupada a UNDEC
Política de Permananêcia ineficaz; reitoria refém dos argumentos orçamentários; descaso do Governo Estado expresso no corte de verbas, enquanto o sonho de cursar uma universidade torna-se um pesadelo para aproximadamente 150 estudantes que suportam condições indignas de sobrevivência no campus. Essa é a conjuntura na qual se encontra a Universidade Estadual de Feira de Santana.

Com o sistema de ações afirmativas implementada há dois anos, constata-se um número crescente de estudantes cotistas ingress(os) na UEFS; entretanto, a universidade não garante um política de permanência para alem do simples acesso. É nesse contexto que a Residência Universitária, já normalmente super lotada (chega-se a nove pessoas por quarto enquanto o máximo aceito pelos padrões nacionais é de três), já não se consegue comportar a enorme demanda de moradores(as).

Atualmente existe na casa cinqüenta pessoas a mais, enquanto a construção da nova residência, que mesmo acabada não soluciona a questão, caminha a passos lentos depois de sucessivas interrupções. Quartos super lotados, pessoas acampadas no chão, impossibilitadas de conduzir satisfatoriamente seus estudos, em alguns casos com saúde comprometida, são fatos recorrentes dentro da Resi-UEFS.

Em reunião realizada no dia 07 de outubro com a administração superior, a comissão de ações apresentadas... A Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi) do Governo Estadual tem funcionado como uma farsa administrativa, a reitoria insiste nas reiteradas limitações orçamentárias, e a esperada permanência estudantil não sai do papel...Enquanto investe milhões em propagandas dissimuladas e sufoca as UEBA’S ( Universidades Estaduais Baianas) com cortes no fornecimento de verbas, abandono e desmonte do ensino superior, o governo do Estado da Bahia transforma em piada as políticas de acesso, permanência e pós permanência reivindicadas pelo movimento estudantil e pela sociedade em Geral.

É nesse sentido que a residência universitária da UEFS tributaria de uma memória de lutas, resistência e combatividade, recusa o descaso com que vem sendo tratada e promove a ocupação do CAU III (UNDEC) como estratégia reivindicatória por dignidade, respeito e permanência. Longe de constituir uma atitude desesperada e visando instaurar canais de negociação o mais rápido possível, a RESI elenca como pautas desta ocupação:

 Solução imediata da situação de moradia entendida enquanto possibilidade de permanecia;
 Garantia da alimentação integral para os(as) novos(as) ingressantes na residência universitária;
 Aceleração das obras e construção e reforma da residência universitária;
 Redefinição da política de permanência da UEFS com vistas a uma real efetivação dos princípios em que ela se assenta.

“Nem um passo atrás que não seja para tomar impulso”. (Che Guevara)
Residência Universitária da UEFS

____
Enviado por Zane na lista nacional da Sence

Dabilo feop

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Top WordPress Themes